FÉ- Ver para crer/ crer para ver


Em meio ao mundo cientificamente comprovado a maioria das coisas precisa de estudos, comprovações e explicações lógicas para se acreditar. O famoso “ver para crer”.  Caso contrário tudo é idéia, mentira ou simplesmente ilusão.

E em meio a comprovações cientificas a fé se extingue. O sentimento que nos permite a posse antecipada do que acreditamos perde espaço por ser humanamente incompreendido.

Queremos ver além do que a vista nos permite, mas é ao fechar os olhos e sentir a brisa, o cheiro das árvores, o canto dos pássaros. Ao sentimos o abraço de quem nos ama ou recordarmos as conversas com os amigos, os momentos de risadas, os desafios superados, o sacrifício de amor por nós há muito tempo feito, ou algum exemplo de conversão paulina de alguém próximo, é que conseguimos ver além de qualquer explicação lógica que possam nos dar.

Vemos com os olhos da alma. Sentimos a força que nos impulsiona para nossos sonhos. Sentimos a fé, a retribuição de Deus por acreditarmos em seus planos. Lembramos de Jesus sorrindo para nós como um amigo de muito tempo atrás, como um colega de sala, como pais ou como um amor de adolescente (até para vida inteira) e dizendo: SIGA.

Então, ao abrir os olhos, ele está a nos esperar: nosso dia-a-dia. Seco e desanimador. Mas antes de nos abalarmos lembramos da força que brota de nosso peito. Ela, a fé. E continuamos.
Não me refiro neste texto a uma fé cega, onde não haja os questionamentos ou a curiosidade de conhecer a algo tão complexo – Pois são as dúvidas que nos levam a conhecer melhor a Deus - Mas me refiro a um modo de se acreditar no que não se vê; não se cheira ou degusta. Que não precise de experimentos mas de experiências. Algo que se está presente em nós e apenas podemos SENTIR e transmitir ao próximo.


Por Sillas

4 comentários:

Etiene disse...

"São as dúvidas que nos levam a conhecer melhor a Deus". Querido Sillas, já perdi a conta de quantas vezes eu já repeti isso e quanto isso é o norte da minha vida e da minha fé. Quem não duvida não busca resposta, não faz perguntas estranhas, não encontra o seu tesouro, não enxerga a si mesmo. Não vive, só existe.

bandasetimodom disse...

Existir é só existir, ser "é o que há".

Sonhador disse...

Putz, Sillas gostei do blog é legal escrever um blog em conjunto com os amigos,e adorei o seu texto, dúvidas é o que mais temos na cabeça e é o que sempre nos leva adiante em busca de resposta e quando encontramos ganhamos novas duvidas rs.

Abração garoto.

Sillas Santos disse...

Galera, obrigado MESMO pelos comentários!!! :D

Postar um comentário